2ª Via da Fatura
Segunda Via de Faturas

Imprima a 2ª via das faturas não quitadas.

Editais de Licitações
Editais de Licitações

Obtenha os editais das licitações em andamento.

Tabelas de Tarifas
Tabelas de Tarifas

Acesse as tabelas de tarifas do SAAE.

Fale Conosco
Tabela das Tarifas

Canal via e-mail para dúvida e sugestões.

Hidrometros


Entenda o Projeto de Controle de Perdas e a troca dos hidrômetros

O SAAE está implantando, em todo o município de Mogi Mirim, de maneira constante, o Programa de Controle de Perdas, que tem como principal objetivo o combate às perdas físicas e comerciais nos sistemas de distribuição de água sob responsabilidade desta Autarquia. Uma das medidas adotadas para a redução do índice de perdas foi a substituição e padronização de todo o parque de hidrômetros do município, em razão de dois fatores principalmente: a incapacidade de aferição real do consumo (sub-medição) e a elevada vazão nominal de funcionamento dos hidrômetros que estão sendo substituídos.

As sub-medições são causadas por diversos fatores, tais como tempo de vida útil dos hidrômetros, desgastes mecânicos em suas engrenagens, posição incorreta da instalação com relação ao cavalete.

Sobre a questão da vazão nominal dos equipamentos, foi identificado pelos técnicos do SAAE que o modelo utilizado até então não é adequado às características da grande maioria das residências de Mogi Mirim, que possuem reservatórios (caixa de água) internos. Os equipamentos que estão sendo substituídos possuem vazão nominal de 15 ou 30 litros por hora. Em outras palavras, só existe medição de consumo de água quando a quantidade demandada supera esta vazão inicial.

Em um simples exemplo, uma descarga em vaso sanitário consome, em média de 12 a 15 litros de água. Se, durante um dia, fossem disparadas 10 descargas, uma a cada hora, e durante essas 10 horas não houvesse nenhum outro consumo, mesmo sendo utilizados de 120 a 150 litros de água, os hidrômetros que estão sendo substituídos não teriam capacidade de registrar, tudo em função da vazão nominal de 15 ou 30 litros por hora. Os novos equipamentos, por sua vez, possuem vazão inicial de 06 litros por hora, ou seja, de 03 a 06 vezes mais preciso e, portanto são capazes de registrar o consumo do exemplo acima. Na verdade, o que se busca é aferir com exatidão o volume de água consumido, diminuindo os índices de perda, e com isso receber dos consumidores a tarifa justa pela prestação do serviço na mesma proporção do consumo, respeitado os valores para cada categoria e as faixas de consumo.

Importante dizer que os novos hidrômetros foram adquiridos através de processo licitatório, conforme a legislação em vigor, e foi exigido dos fornecedores que o equipamento atendesse a todas as normas técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que fosse aprovado e homologado pelo INMETRO e que fossem realizados todos os ensaios para avaliação de desempenho, definidos através de NBR (Normas Brasileiras) específicas. Cabe salientar que todas essas exigências foram atendidas pela empresa vencedora da licitação e toda a documentação está disponível para consulta a qualquer consumidor aqui no SAAE, ou através do site do Inmetro, nos links abaixo:

http://www.inmetro.gov.br/pam/pdf/PAM003380.pdf - Fabricante LAO

http://www.inmetro.gov.br/legislacao/pam/pdf/PAM003163.pdf - Fabricante Itron (Actaris)

Também está à disposição dos consumidores um experimento que auxilia no entendimento das explicações acima. Trata-se de um cavalete, onde foram instalados 09 hidrômetros de diferentes modelos e ano de fabricação, sendo um deles o novo modelo adquirido pelo SAAE. É possível identificar a olho nu a precisão do equipamento, bem como a exatidão da medição da água que passa pelo cavalete (veja vídeo abaixo).

Outro ponto importante que devemos considerar são os hábitos de consumo da água pelos consumidores, que são muito lineares. Ao longo do tempo são adquiridos padrões de consumo que pouco se altera, exceto em condições sazonais, como exemplo estações do ano, período de férias, etc. Com hábitos de consumo já definidos, e considerando que grande parte dos hidrômetros apresenta falhas em sua medição, é natural que haja consumo de água para atividades supérfluas, como exemplo, regar jardins, lavar quintais ou automóveis, lavar calçadas, banhos extremamente longos, etc.
Se o hidrômetro não registra o consumo com exatidão, tem-se a falsa impressão que o uso da água está sendo feito de forma racional e o valor das faturas são inferiores ao consumo real, que não foi registrado. Com a substituição do equipamento pelo modelo com precisão, toda essa água será registrada, aumentando certamente o valor das faturas. Neste cenário, é necessário identificar o consumo, acompanhando diariamente o consumo registrado e, se for o caso, adaptar-se a esta nova situação, racionalizando o uso da água.

Outro fato que ocorre com freqüência após a substituição do medidor é o “aparecimento” de pequenos vazamentos internos, que antes não eram registrados pelos hidrômetros imprecisos. A identificação é fácil: se o hidrômetro gira sem parar e não existe consumo no interior do imóvel, com certeza existe algum ponto de vazamento após o hidrômetro. Nestes casos, o consumidor precisa identificar e sanar o problema, pois o SAAE não realiza manutenções dentro dos imóveis. Cabe informar que, após o reparo do vazamento e, se a água que se perdeu não atingiu a rede coletora de esgotos (vazamentos não aparentes), o consumidor poderá requerer ao SAAE o desconto na tarifa de esgotos, dentro do prazo previsto em regulamento.


Assista ao vídeo explicativo sobre a troca dos hidrômetros